Arquivo | Italiano RSS feed for this section

Imersão Itália

12 jun

Os alunos Sênior de Italiano do nosso Programa estiveram em uma viagem de imersão na Sicília, Itália.

Abaixo, um pouquinho das visitas e passeios que foram feitos, acompanhados pela professora Elisa Sachet.

IL 1o MAGGIO IN ITALIA

2 maio

 

italy-78177_1920Il 1o MAGGIO IN ITALIA

Il primo maggio si celebra in molti paesi del mondo la Festa del Lavoro o Festa dei Lavoratori, per ricordare le lotte e le contestazioni di migliaia di lavoratori che, nella seconda metà dell’Ottocento, portarono al miglioramento delle condizioni di lavoro e alla riduzione della giornata lavorativa a 8 ore.

La Festa del Lavoro si celebra in Italia dal 1890 e, dopo la soppressione determinata dalla dittatura fascista, diventa ufficialmente “festa nazionale” soltanto a partire dal 1947.

In questo giorno, ogni anno, in diverse città italiane si tengono manifestazioni di piazza promosse dalle principali organizzazioni sindacali, CGIL, CISL e UIL.

Fino a qui, non ci sono grandi novità e differenze rispetto al Brasile. Quello che forse non sapevi, è che, proprio in questa data, si svolge uno dei più famosi e storici eventi musicali gratuiti in Italia: il Concerto del Primo Maggio.

Nato nel 1990 e promosso dalle organizzazioni sindacali, il Concerto del Primo Maggio si svolge a Roma, in Piazza San Giovanni in Laterano, e raccoglie ogni anno un’enorme folla di giovani provenienti da tutta Italia e non solo.

Il concerto, che viene trasmesso ogni anno dalla Rai, sia in televisione che alla radio, è una vera e propria maratona musicale che inizia solitamente nel primo pomeriggio e continua fino a notte fonda: per tale motivo è conosciuto anche come “Concertone”.

Sul palco si esibiscono, in successione, decine e decine di artisti italiani e internazionali che fanno vibrare le centinaia di migliaia di spettatori che cominciano a riempire la piazza sin dalle prime ore del mattino.

Se dovessi trovarti a Roma in questo giorno, vale la pena fare un salto in Piazza San Giovanni e conoscere l’evento più caratteristico e conosciuto del Primo Maggio in Italia.

Curiosità

La parola “lavoro” compare nel primo articolo della Costituzione italiana che recita: “L’Italia è una Repubblica democratica, fondata sul lavoro. La sovranità appartiene al popolo, che la esercita nelle forme e nei limiti della Costituzione.”

Fonte: http://vouaprenderitaliano.com/il-1-maggio-in-italia-artigo-audio-traducao/

 

 

 

 

Imersão turístico-cultural de Italiano

1 jun

Os alunos Sênior do PLE/UCS estão na Itália, em imersão, acompanhados pela professora Elisa Sachet.

italiano imersão

PLE Cultural de Italiano!!!

12 maio

cartaz ple_2015_ A4

Programação do PLE Cultural de Italiano 18/05 – Segunda-feira – Abertura do PLE Cultural no saguão do Bloco L Concurso Fotográfico Come una Volta – Participe, fotografe-se à moda antiga, poste no Instagram com as  #ple_ucs,  #giordanidesde1983,  #comeunavolta  e concorra a um rodízio de pizzas na Giordani. Serão vencedoras as fotos mais curtidas.

19/05Terça-feira – Exibição de documentários sobre a Imigração Italiana. Concurso Fotográfico Come una Volta  – Participe, fotografe-se à moda antiga, poste no Instagram com as  #ple_ucs,  #giordanidesde1983,  #comeunavolta  e concorra a um rodízio de pizzas na Giordani. Serão vencedoras as fotos mais curtidas.

20/05Quarta-feira –  Exibição de documentários sobre a Imigração Italiana. Concurso Fotográfico Come una Volta  – Participe, fotografe-se à moda antiga, poste no Instagram com as  #ple_ucs,  #giordanidesde1983,  #comeunavolta  e concorra a um rodízio de pizzas na Giordani. Serão vencedoras as fotos mais curtidas.

21/05Quinta-feira –  19h15min – Apresentação do Coro de Flores da Cunha no saguão do Bloco L. Concurso Fotográfico Come una Volta  – Participe, fotografe-se à moda antiga, poste no Instagram com as  #ple_ucs,  #giordanidesde1983,  #comeunavolta  e concorra a um rodízio de pizzas na Giordani. Serão vencedoras as fotos mais curtidas.

Veja algumas fotos do concurso Come una volta! 

Vencedores do Concurso Fotográfico Instagram PLE

8 set

IMG_3560

Parabéns, Lucas!!!  Aluno de inglês do PLE é um dos vencedores do concurso. #pleculturaldeitaliano #giordani31anos

IMG_3561

Parabéns, a foto de Luciane Zanandréa e Carlos Alberto da Costa foi a segunda vencedora do concurso! #pleculturaldeitaliano #giordani31anos

 

 

 

 

 

Finalistas Concurso Fotográfico PLE Instagram

8 set

Cartaz_Promo_Fiat500

Volnei e Regina Pirolli  

IMG_3563 

 Lucia Zignani

 IMG_3562

   Luciane Zanandréa e Carlos Alberto da Costa

IMG_3561 

Lucas da Silva Pinto

IMG_3560

   

 

 

Conheça a história da 500

17 ago

Publicidade 1957

Publicidade

Passeio Fiat 500

 

La mitica 500 – PLE Cultural de Italiano – de 25 a 29 de agosto de 2014

17 ago

FIAT 500

ONTEM E HOJE, SÍMBOLO DE ITALIANIDADE

             O PLE CULTURAL DE ITALIANO desse ano vai falar sobre o FIAT CINQUECENTO, carro que, desde seu lançamento, em 1957, fez parte da história da Itália e das famílias italianas, tornando-se um ícone do estereótipo italiano e da italianidade.

De 25 a 29 de agosto, venha visitar o PLE, conhecer um modelo atual do carro, que será gentilmente exposto no hall do BLOCO L pela Concessionária Sulpeças da nossa cidade.

 Além disso, todos os alunos do Programa de Línguas Estrangeiras poderão participar de um concurso de fotos no INSTAGRAM e concorrer a rodízios de pizza da Giordani!

Impossível não achar esse carro simpático, não é mesmo?

Conheça a evolução do Fiat 500

fiat 1O motor era traseiro, seguindo a base do Fusca e outros carros da época.

Para atender às demandas do mercado pós-guerra, que apelou para carros de custo muito baixo, o Fiat 500 tinha que ter motor traseiro, para tentar fazer o mesmo sucesso do Fusca. Vários fabricantes de automóveis seguiram esse padrão e foram muito bem sucedidos. Mas apenas o Fiat 500 foi usado como padrão para outros fabricantes de carros na Europa. As empresas Neckar da Alemanha e a Steyr-Puch da Áustria seguiram legalmente a base no Fiat 500.

fiat2

Fiat 500 Giardinera, versão perua do diminuto 500

 Apesar de seu tamanho diminuto, o 500 provou ser um veículo extremamente prático e popular em toda a Europa.  Também disponível na versão “Giardinera”, ou perua do 500, esta variante apresentou o motor padrão deitado de lado. A distância entre-eixos alongada em 10 cm rendeu um assento utilizável traseiro, teto solar de corpo inteiro, e travões de maiores dimensões do Fiat 600.

A produção do 500 terminou em 1975, embora o seu sucessor, o Fiat 126, foi lançado dois anos antes. O 126 nunca foi tão popular quanto seu antecessor na Itália, mas foi (e ainda é) muito popular nos países do antigo Bloco Leste, onde é famoso pela durabilidade mecânica e econômica. A Giardinera continuou até 1977, sem nenhum sucessor.

fiat3

O Cinquecento voltou em 1991, com o nome sendo divulgado pela maneira escrita, e não numeral, como antes.

O Fiat Cinquecento foi um carro de uso urbano lançado pela Fiat no final de 1991 para substituir o Fiat 126. Era o primeiro  modelo Fiat a ser exclusivamente fabricado na planta FSM em Tychy, na Polônia, que acabou de ser vendida para a Fiat pelo estado polonês, e onde a produção do 126 (em sua variante polonesa, o Polski Fiat 126) ainda estava em execução. A produção do Cinquecento terminou em 1998, quando foi substituído pelo 600/Seicento.

O Cinquecento estava disponível em um estilo único, um pequeno hatch de 2 portas, com um coeficiente aerodinâmico favorável de apenas 0,33. Ele apresentava diversos avanços em relação aos mais velhos carros Fiat urbanos, incluindo a suspensão independente tanto na frente e na traseira, freios a disco dianteiros, barras de impacto lateral, juntamente com zonas de deformação incorporadas ao projeto e painéis da carroçaria galvanizada para afastar a corrosão. A direção era por pinhão e cremalheira, e apesar da direção assistida nunca ter sido oferecida, o carro podia ser encomendado com uma série de extras, incluindo fecho centralizado, vidros, teto solar (ou teto de lona retrátil na versão Soleil) e até o ar condicionado.

O curioso foi que o Cinquecento durou menos que seu antecessor (1991-1998). Ele chegou a sair de linha antes do 126 (1972-2000). 

fiat4

O novo 500 foi lançado em 2008, lembrando e muito o modelo de 1957.

fiat5

Painel customizável. Pode ser preto, marrom, ou esse aí da foto, o creme.

fiat6

Catálogo de cores do 500 estadunidense.  

O novo Fiat 500 é um manifesto da “nova Fiat”, um modelo que representa para todos os efeitos, a materialização de uma nova abordagem e de estratégias novas. Exatamente 50 anos após o lançamento da primeira edição do modelo a Fiat lançou a 3ª geração do carro.

Qualquer um poderia re-editar o Fiat 500, porque sua forma é parte de nossa memória coletiva. Alguns objetos industriais que foram fruto da criatividade italiana, no período após a guerra, como o Fiat 500, ou o Vespa, não pode ser julgado em termos puramente estéticos, nem eles representam apenas um exercício de boa engenharia de que forma serve a uma função. Pelo contrário, eles são catalisadores poderosos, revolucionários em sua concepção e no conceito que define os pontos de referência e referências comuns. Quando isso acontece, o resultado é uma obra-prima que é uma parte essencial da história industrial. O “Nuova 500” é um deles.

Esta é uma história que ocorreu duas vezes. A primeira é a história de um grande número de proprietários, fãs e entusiastas que promoveu a imagem do carro como um veículo, bem confiável e econômica, que se tornou uma expressão de uma parte de suas vidas, a melhor parte, evocando um espírito despreocupado e a falta de preocupações. O Fiat 500 está ligado a essas memórias, para amizades fortes e primeiros amores, evoca imagens de um passado positivo que muitos gostariam de reviver.

fiat7

O 500C é a versão conversível do novo 500  

Apresentado ao mundo pela primeira vez em 2009 no Salão de Genebra, o novo Fiat 500C presta homenagem ao original 500 de 1957 e sua capota de tecido, mas também oferece soluções inovadoras em termos de desenho mecânico, motor e conforto. Toda a linha está com a mais autêntica tradição Fiat, de dar às pessoas acesso a primeiro segmento em conteúdo e tecnologia.

Na Itália, o público levou-o para um test drive no dia 4 de julho de 2009, o aniversário do Fiat 500 e exatamente dois anos após o lançamento do modelo que realmente levantou a barra em termos de conforto, segurança, tecnologia e características.

Usando uma abordagem típica de código aberto (ou seja, em constante evolução, um produto de sucesso com base na entrada de seus usuários), o Centro de Design Fiat criou o Fiat 500C, interagindo com as muitas comunidades de entusiastas do Cinquecento – nomeadamente “500 Wants You” em seu website – e reforçando a posição do modelo como “Um carro para o povo. Pelo povo”.

A partir da versão hatch, a introdução de a capota não alterar as características do modelo vencedor, como seus quatro assentos confortáveis, ele adiciona novas funções que aumentam o prazer ao dirigir. Estes incluem um acesso mais fácil à bagageira, mesmo quando a capota está totalmente aberta, graças a um engenhoso sistema de dobradiças.

O 500 (escrever-se Cinquecento e pronunciar Tchinqüetchento) não é bem uma novidade, mas continua atraindo olhares nos salões afora. Em Genebra, a Fiat apresentou uma versão muito especial do mini-compacto, que chamou bastante atenção.

O 500 Coupé Zagato foi desenhado em parceria com o centro de design da empresa, chamado de Centro Stile. O sobrenome de grife indica que o carro foi inspirado no Coupé Zagato, um esportivo criado em 1952 que foi inspirado no clássico 500 Topolino (1936).

O novo 500 Coupé Zagato transformou o pequeno 500 em um “coupé two more two” – para simplificar, Cupê 2+2 – (com capacidade para levar dois adultos e duas crianças). Afinal, com 3,55 metros de comprimento, 1,65 metro de largura e 1,50 metro de altura, o esportivo não poderia ser tão espaçoso assim.

Sob o capô, o modelo tem um motor dois cilindros TwinAir, com 900cc e uma potência de 105 cv. O visual mereceu atenção especial por parte da Fiat: os detalhes cromados contrastam com a chamativa pintura amarela e as rodas de 17 polegadas se destacam pelo belo desenho. Por dentro, o acabamento tem dois tons e oferece uma combinação de toques em amarelo com couro preto. Até o teto foi escurecido, criando um ambiente mais esportivo.

Em junho de 2011, o Fiat 500 foi o 3º carro mais vendido da Itália.

Imagem

Vem aí o PLE Cultural de Italiano

8 ago

500 fiat

Buon Natale, Buon 2014!

24 dez

Tu scendi dalle stelle è uno dei più conosciuti e belli canti natalizi italiani, composto nel dicembre 1754 a Nola in provincia di Napoli,  dal Santo napoletano Sant’Alfonso Maria de’ Liguori, derivato come versione italiana dall’originale “Quanno nascette Ninno”.
Questa versione della canzone fa parte del nuovo album – omonimo – di Frate Alessandro: la più bella compilation di Natale pubblicata dal frate più famoso nel mondo musicale, conosciuto come “la voce da Assisi”.

Frate Alessandro, la voce da Assisi

Alessandro Giacomo Brustenghi nasce a Perugia il 21 aprile 1978 e, a soli ventuno anni, entra nell’ordine dei Frati Minori.
Sin da bambino ha una grande passione per la musica. Non solo: ha talento.
Nel 2011 un impresario lo sente cantare in una piccola chiesa di provincia e resta folgorato, invitandolo a un’audizione.
La riservatezza e la voce limpida del sacerdote conquistano immediatamente gli ascoltatori: Alessandro è il primo frate a firmare un contratto con un’importante etichetta discografica, la Decca, famosa la qualità delle registrazioni.
In occasione dell’uscita di “Tu scendi dalla stelle – Voice of Joy” riproponiamo l’inverivsta escluvia che ha rilasciato a Sanpaolostore.

Come si vivono la fede e l’amore per musica nei luoghi che furono di San Francesco?
Credo che Francesco abbia sempre avuto nel cuore la percezione che l’espressione artistica sia una vera e propria partecipazione alla Creazione per la lode di Dio, e quando arriva il momento supremo del suo incontro con il Signore canta e fa cantare un inno al buon Dio lodando “sorella morte” che gli apre le porte all’incontro con Gesù, suo unico bene. Il canto è espressione di gioia e della presenza del Signore, ogni volta che cantiamo qui alla Porziuncola siamo in comunione con quello spirito di lode e di amicizia che ebbe Francesco nei confronti di Dio.
La voce è un dono di Dio, ma per amare la musica occorrono una scintilla e tanto lavoro e determinazione, cosa ti ha spinto verso quest’arte?
In realtà ho iniziato a studiare canto per gioco, per scherzo, perché mi convinse un’insegnante del conservatorio. All’inizio non avevo né voce né passione per il canto e il Signore mi ha fatto scoprire questo dono passo dopo passo, ma solo in convento ho sentito il profondo legame di quest’arte con la vita spirituale. Mi sono messo, così, a studiare a fondo cultura e tecnica del canto per conoscere bene lo strumento che Dio mi aveva consegnato per la sua lode.
Vuoi parlarci della tua esperienza discografica e del tuo CD registrato a Londra?
Non avevo mai partecipato prima a un progetto così grande. Ho accolto la proposta come un invito della Provvidenza a diffondere il messaggio di Gesù di amore e bellezza. Per me è una piccola croce perché contrasta con la mia indole naturale; io sono, infatti, una persona riservata e timida e non ho mai cercato fama e popolarità, ma in realtà tutto questo rientra nel carisma francescano e realizza, perciò, la mia vocazione. Accolgo, così, con gioia questa missione sicuro che se il Signore mi ha introdotto su questa strada non mi abbandonerà. Oltretutto non sono solo, i frati mi accompagnano sempre e le persone che incontro sono un vero e proprio dono per la mia vita.
Fai molti concerti, com’è il tuo rapporto con il pubblico?
Ho sempre una gran paura di fare concerti, non so come mai, ma tremo prima di iniziare e vorrei scomparire… Evito sempre di cantare cose difficili perché credo di non farcela; per esempio riesco a cantare anche per due ore di seguito senza stancarmi e ho per natura degli acuti facili e anche i sovracuti, ma non li canto praticamente mai in pubblico e difficilmente eseguo più di 5 o 6 brani perché ho paura. Vero è pure che sono un po’ perfezionista e non mi accontento mai e devo ricordarmi ogni volta del salmo che dice “Non vado in cerca di cose grandi, superiori alle mie forze”. Poi succede che entro e inizio a cantare e quasi sempre tutto procede abbastanza bene perché so per certo che non sono lì per sfoggiare una mia bravura, ma per trasmettere un messaggio e lasciar vibrare i cuori nella bellezza dell’amore di Dio.